Media - Press Releases

Comporta Sustainable Living

Comporta Quadrado

A sustentabilidade é o pilar que agrega todo o projeto.

Promover o valor ecológico criando as bases de uma comunidade integrada e integradora são os princípios orientadores que se pretende seguir

Mar - Terra - Comunidade — A estratégia a seguir assenta em três eixos: a proteção dos oceanos, a ecologia do espaço construído, criação de oportunidades para as pessoas e uma vivência ímpar.

 

EIXOS

OBJETIVOS

MAR

M1 - Minimizar o consumo de água potável

M2 - Sensibilização local e preservação da zona costeira

M3 - Promoção da economia do mar

 

TERRA

T1 - Edifícios Sustentáveis

T2 - Comunidades Sustentáveis

T3 - Agricultura e Biodiversidade

T4- Arquitetura e Design

COMUNIDADE

C1 - Emprego e oportunidade

C2 - Coesão social

C3 - Economia local e circular

 

CULTURE FOUNDATION

CF 1 -Design e Arquitectura do Mar e do Campo

CF2 - Artes Plásticas

CF 3 - Summer Pavilion

CF 4 - Design do Espaço Público

 

 

MAR
A Água é um dos mais importantes recursos do planeta. O Comporta Sustainable Living terá uma equipa dedicada à gestão inteligente deste recurso e à promoção da economia do mar. Alguns dos objetivos nas iniciativas relacionadas com este eixo passam por minimizar o consumo de água potável, preservar as zonas costeiras e promover a economia do mar.

Face ao contexto da localização do empreendimento e das alterações climáticas que enfrentamos, existem desafios significativos sobre o ciclo da água. Assim um projeto ecologicamente sustentável deverá ser neutro ou até positivo na quantidade de água gerada e utilizada e deve assegurar a qualidade da água quer à entrada quer à saída.

 

M1 - Minimizar e monitorizar o consumo de água potável
Considerando a escassez dos lençóis freáticos e potencial contaminação dos mesmos por resíduos, deve assegurar-se a total autonomia do empreendimento face aos atuais recursos hídricos e garantir a qualidade da água nos efluentes produzidos. Com este propósito algumas das medidas concretas que se pretendem implementar passam pela construção de duas ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) de última geração, com vista ao reaproveitamento de efluentes tratados para rega e outros usos secundários. Por outro lado, e igualmente tendo em vista a gestão eficiente deste recurso, será estudada a viabilidade de instalação de um sistema de dessalinização por osmose que possa igualmente contribuir para satisfazer as necessidades hídricas locais.

 

M2 - Sensibilização local e preservação da zona costeira e ambiente marinho
Face ao delicado ecossistema local serão desenvolvidas iniciativas de sensibilização para as melhores práticas de gestão e conservação de praias e de todo o delicado sistema dunar. Estas ações serão desenvolvidas com forte foco na população local. 

A preocupação com o ambiente e a sua valorização será transversal a todo o projeto, desde a minimização da sua pegada, a uma exploração económica sustentável, à preservação do ambiente marinho e terrestre, promovendo uma valorização do capital natural da região e contribuindo para a sua conservação e utilização sustentável. Os principais ativos naturais existentes são o Estuário do Sado (golfinhos, sapais e aves migratórias), a frente mar (dunas e ambientes costeiros) e as áreas verdes e ambientes naturais associados.

 

Estuário do Sado – Golfinhos, sapais e aves migratórias

Em concreto, serão definidas ações que contribuam para a preservação/recuperação de áreas de sapal no Estuário do Sado, ao qual está associada uma rica fauna de aves migratórias que são foco de atração de muitos amantes da natureza por todo o mundo. Finalmente, a população residente de golfinhos roazes do Estuário do Sado frequenta as águas na frente mar da herdade pelo que contribuir para a sua conservação (a atual população tem vindo a diminuir significativamente) ajuda a garantir o equilíbrio do sistema.

 

Frente mar, dunas e ambientes costeiros

Na interface mar/terra, as dunas merecem atenção especial, não só a nível da construção de acessibilidades adequadas à sua preservação, como também na erradicação de plantas exóticas e no reforço da vegetação nativa. Nas praias, para além dos usos balneares tradicionais, a região oferece interessantes pontos de mergulho, incluindo na frente mar da herdade e suas imediações. A observação da natureza, incluindo diversas aves limícolas e migratórias que habitam os ambientes costeiros e de sapal, são também atividades a valorizar.

 

M3 - Promoção da economia do mar
O Mar como pilar estratégico nacional não poderia deixar de estar focado no projeto. Serão desenvolvidas várias iniciativas que possam promover a economia do mar, atividades de I&D e apoio a startups ligadas aos oceanos. Este objetivo estará, assim, ligado ao eixo Comunidade, na medida em que se pretende que estas iniciativas possam estar relacionadas com a população local e as suas atividades.

No que respeita à Aquacultura e Pesca será dado foco à produção de espécies de peixe e ostras em regime extensivo e biológico na região, tirando partido da vasta área disponível e condições biológicas do Sado. Outros produtos como algas para utilização em tratamentos de wellness, talassoterapia a algoterapia e contribuição para captação de CO2 poderão também ser explorados.

Resumindo, as iniciativas a considerar podem passar por promover uma pesca sustentável, aquacultura multitrófica, talassoterapia, mas também pela promoção de uma marca com produtos do mar produzidos na região de forma sustentável e biológica.


TERRA
No eixo Terra estão reunidos os objetivos de gestão e planeamento territorial, de forma a que qualquer intervenção no terreno seja desenvolvida de acordo com as melhorias práticas de construção e com total respeito pela integração com o local. Pretende-se que o espaço da herdade promova o funcionamento de uma comunidade verdadeiramente sustentável.

 

T1 - Edifícios Sustentáveis
Neste capítulo, um dos objetivos prioritários passa pela promoção da sustentabilidade do ambiente construído, integrando as melhores práticas de arquitetura bioclimática e seguindo os princípios dos sistemas internacionais de construção sustentável. O SBTool (Sustainable Building Tool), ferramenta internacional desenvolvida pela organização iiSBE (International Initiative for the Sustainable Built Enviroment) será a ferramenta seguida para o cumprimento deste objetivo.

 

T2 Comunidades Sustentáveis
Aspetos como a mobilidade, bem-estar social, promoção da reciclagem e consumo de materiais e produtos locais, são alguns dos aspetos que se irão desenvolver e que vão permitir o funcionamento de uma comunidade realmente sustentável. Com este propósito serão seguidas as orientações da organização Bioregional, uma organização com ampla experiência no desenvolvimento de eco-comunidades, e da iniciativa One Planet Living desenvolvida pelo Biorgional.

 

T3 - Agricultura e Biodiversidade
Edifícios e comunidades sustentáveis só podem existir numa lógica integradora de produção e consumo local, assim como de total respeito e promoção da biodiversidade local. A agricultura local biológica, a proteção da paisagem e a existência de planos a longo prazo para a gestão da biodiversidade serão um dos focos do eixo TERRA.

 

T4- Arquitetura e Design
Seguindo a lógica da construção sustentável, a arquitetura seguirá o legado local, onde a construção e o design se integram na paisagem natural. Tudo isto será feito com recurso às melhores práticas mundiais da indústria hoteleira e residencial de qualidade. Numa palavra, ao edificado será parte do tecido e cultura locais em sintonia com o resto do mundo.

 
COMUNIDADE
O eixo mar e o eixo terra reúnem os objetivos de sustentabilidade do projeto no que diz respeito à gestão dos valiosos recursos naturais do local e ao desenvolvimento das melhores práticas de utilização deste espaço existente. No eixo Comunidade queremos reforçar a vertente social e económica, valorizando a população e as tradições locais, de forma a que projeto Comporta Sustainable Living traga valor acrescentado à vivência do local.

 

C1 - Emprego e oportunidade
O projeto será uma importante fonte de emprego local, pretendendo-se promover a empregabilidade da comunidade local e o desenvolvimento de ações de formação para a qualificação dos recursos humanos locais. Entre outras áreas, esta formação incidirá nas questões da gestão sustentável do espaço e nas boas práticas ambientais transversais a toda a região.

 

C2- Coesão social
Pretende-se que as infraestruturas a desenvolver no empreendimento possam também ser utilizadas pela população local. É ainda pretendido que se desenvolvam atividades que envolvam a comunidade e a incentivem a coesão social, nomeadamente através de atividades relacionadas com a proteção do ambiente e biodiversidade local.

 

C3 - Economia local e circular  
Será desenvolvida uma política de compras sustentáveis locais que promova sempre que possível a utilização de produtos e serviços locais, particularmente bens de consumo. Aspetos como a agricultura local e biológica, artesanato local e promoção de pequenos produtores da região estarão integrados nesta política de consumo sustentável.

 

CULTURE FOUNDATION
Criação de uma fundação na área da cultura, com espaço próprio, e com atividade sobre o contexto local - mas ligada ao contexto internacional. Pretende-se, desde o início, inovar e adquirir um posicionamento muito elevado. Este projeto irá desenvolver uma rede de parcerias internacionais de elevado status e qualidade.

 

CF 1 -Design e Arquitetura do Mar e do Campo
Organizar a exibição de uma exposição permanente baseada nos artefactos da zona, específicos para a área da agricultura e para a atividade no mar, mas com tratamento museológico de vanguarda. Desenvolver igualmente exposições temporárias comissariadas por grandes nomes internacionais do design e da arquitetura que contribuam de forma positiva para questões sociais, ambientais ou económicas da zona.

 

CF2 - Artes Plásticas
Promover as artes plásticas, por exemplo através da promoção de residências de artistas, ou jovens muito promissores ou consagrados, trabalhando sobre temas locais.

 

CF 3 - Summer Pavilion
Lançar um programa anual para a conceção de um pavilhão temporário próximo do mar e das dunas e que constituam um ponto de descanso e reflexão, dedicado à natureza e ao homem.

Convidar grandes nomes da arquitetura e do design mundiais para o conceberem anualmente, em materiais sustentáveis e da zona, e comissariar um artista do mesmo calibre para produzir uma obra de arte, efémera também, para colocar dentro ou próxima do pavilhão. Fazer deste um evento de renome que marcará a agenda internacional.

 

CF 4 - Design do Espaço Público
Desenvolver um projeto na área do espaço público ou semiprivado com características inovadoras em termos de qualidade ambiental, ecológica, funcional e estética. Desenhar para o século XXI, ou seja, integrando tecnologias de comunicação high tech com design de equipamento urbano sustentável, pisos ecológicos e de noise reduction, mobilidade elétrica, sinalética não invasiva, paleta cromática controlada, etc.

Fique em contacto. Subscreva a nossa newsletter.

Por favor insira o seu nome
Por favor insira o seu email Email inválido