Media - Press Releases

Tikva – Museu Judaico de Lisboa começa a ser construído em 2022

Com uma doação inicial de 2 milhões, o fundador da Vanguard Properties, Claude Berda, e a sua família são os primeiros doadores do TIKVA, o Museu Judaico de Lisboa.  Esta contribuição canalizada através da Associação Hagadá, responsável pela criação, instalação e gestão do museu, poderá aumentar substancialmente e vem, mais uma vez, demonstrar o carinho e respeito que a família nutre por Portugal e pelos portugueses. 

O protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Associação Hagadá, que assinala o arranque do projeto, foi assinado no passado dia 31 de março, uma data simbólica por assinalar dois séculos desde que o Tribunal da Inquisição foi abolido em Portugal por ordem das Cortes. 

Com o nome de TIKVA, que significa Esperança em hebraico, o museu vai ser construído em Pedrouços, na Avenida da Índia, numa zona perto da Torre de Belém e da Fundação Champalimaud. Implantado num terreno com cerca de 6.237m2 e com uma área de construção bruta de 3.869 m2, esta infraestrutura cultural contará com a arquitetura de Daniel Libeskind, um dos mais proeminentes arquitetos da atualidade que desenhou os museus judaicos de Berlim, São Francisco e Copenhaga, bem como os memoriais do Holocausto nos Países Baixos, no Canadá e nos Estados Unidos e o World Trade Center master plan em Nova Iorque, em colaboração com arquiteto Miguel Saraiva, fundador do gabinete Saraiva + Associados. 

O museu, com início de construção previsto para o início de 2022 e conclusão estimada para 2024, estará repartido por quatro andares (sub-solo, rés do chão, 1º andar e 2º andar), contará com uma exposição permanente com duas secções - cultura religiosa judaica e um percurso histórico organizado cronologicamente - e será ainda palco de exposições temporárias. 

Na assinatura do protocolo que decorreu nos Paços do Concelho estiveram presentes para além do Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, representantes da Associação Hagadá, o arquiteto Daniel Liberskind e sua mulher e o arquiteto Miguel Saraiva, entre outros.

No discurso de apresentação do projeto, a Presidente da Hagadá, Esther Mucznik, teve oportunidade de realçar que, embora conte a história da presença antiquíssima dos judeus na faixa mais ocidental da Europa e a sua contribuição para a nação portuguesa e para a cidade de Lisboa, este não é um museu de judeus, mas um museu português, pois conta a história de um caminho comum que é parte integrante da história de Portugal. 

O TIKVA, a que a Vanguard Properties, ainda que de forma indireta, está orgulhosamente ligado será certamente mais um marco na cidade e um pretexto adicional para visitar a cidade. 

Sequence 02.00 34 52 04
Sequence 02.00 05 48 09
Sequence 02.00 00 24 27
Sequence 02.00 17 19 20
01


Fique em contacto. Subscreva a nossa newsletter.

Por favor insira o seu nome
Por favor insira o seu email Email inválido

Este site está protegido por reCAPTCHA e aplica-se a Política de Privacidade e os Termos de Serviço da Google .